Total de visualizações de página

Pesquisar no blog

domingo, 30 de março de 2014

Jogos de improviso são aliados da Educação Física Escolar

Os jogos atuam na melhora da comunicação verbal, corporal e expressional, ferramentas fundamentais para o sucesso do profissional de Educação Física
jogos-de-improviso-sao-aliados-da-educacao-fisica-escolar


Atualmente, é perceptível a invasão dos grupos teatrais que utilizam a improvisação como forma de atuação. Seguindo as tendências culturais, o público aprova a técnica, pois se apropria da elaboração de cenas a partir de um problema solicitado momentaneamente, causando uma ação e reação em quem joga e a quem assiste. 

A utilização dos jogos teatrais na Educação Física Escolar

A utilização dos Jogos Teatrais na Educação Física Escolar em contextos formais e não formais da educação, foi elaborada inicialmente pela autora e diretora Viola Spolin, ao longo de quase 30 anos de pesquisas junto a crianças, adolescentes, adultos e idosos, nos Estados Unidos. 

Spolin buscava libertar a criança e o ator amador de comportamentos de palco mecânicos e rígidos, almejando a criação e vivência de novas experiências teatrais. “A técnica é encontrada no entretenimento, âmbito pedagógico, avaliativo (no caso de dinâmicas de grupos de empresa e seleções de funcionários) e apresentações artísticas”, afirma Victor Shing, diretor regional da Associação Brasileira de Recreadores (ABRE). “Outra forma é como entretenimento passivo. Recentemente, eu estava na fila do check-in no aeroporto, e de repente, dois improvisadores fizeram jogos cênicos de expressão corporal, com o intuito de passar o tempo e chamar a atenção das pessoas”, conta.

Estratégias dos jogos na Educação Física Escolar

Para revitalizar o processo educativo, especialmente no contexto de Educação Física, novas estratégias são necessárias e criadas, sendo cada vez mais presentes os Jogos de Improviso nas aulas. Os jogos possuem um diferencial, pois tem o objetivo de despertar o interesse de crianças e jovens para a prática regular de atividades físicas, além de ampliar o repertório motor, favorecendo o desenvolvimento nos âmbitos afetivo, psíquico e cognitivo. “A improvisação trabalha com o acerto e com o fracasso. É interessante os alunos terem que lidar com falhas e derrotas. Além disso, eu não desenvolvo um jogo sem respeitar meu próximo, e isso acaba levantando valores muito importantes para as crianças e jovens”, explica Victor.

Alegria, bem estar e motivação são alguns benefícios dos jogos na Educação Física Escolar

Os Jogos de Improviso são uma nova forma de estratégia educacional, catalisando novos processos psicológicos, sociológicos e artísticos por intermédio da criatividade. De acordo com Tiago Aquino, diretor da S&P Produções em Entretenimento, “a presença da sensação de bem-estar advinda desse tipo de atividade pode gerar ressonâncias para além dos muros da escola e alterar valores e atitudes, o que reforça a importância destas vivências”. 

“Estratégias que favoreçam o processo de criação, espontaneidade e versatilidade de pensamento para vencer desafios são bastante adequadas, tornando-se necessárias novas investidas, no sentido de ampliar essa oferta”, afirma Tiago. Para ele, no âmbito educativo, poucas ações pedagógicas levam em consideração o olhar da própria criança. Sendo assim, com a proposta de inserção dos Jogos de Improviso, tornou-se instigante perceber o modo como às próprias crianças se envolvem e pensam.

Para os profissionais que se interessam em aplicar e incluir esse tipo de atividade, existem especializações de improvisação em cursos abertos e de extensão. “Os cursos são mais encontrados em grupos teatrais. A Educação Física está começando a tomar conta da improvisação, mas para quem quer aprender, eu aconselho buscar grupos artísticos”, afirma Victor. 

Alguns Jogos de Improviso que podem ser utilizados como estratégia educacional:

Prova dos Objetos
Duração do Jogo: 50 minutos.
Objetivo: Reconhecer as ações através do uso dos objetos.
Foco: Utilizar a criatividade nas ações com os objetos.
Descrição: Os jogadores dispostos, em forma de plateia, e os materiais em cena (bola, cone, bastão). Os jogadores, um por vez, terão que improvisar uma cena, de curta duração, com o objeto proposto.
Dica observada: É importante criar cenas com os objetos que não sejam eles mesmos. Evite diálogos e comentários durante o jogo.
Instrução utilizada: Demonstre para nós o jogo! Utilize apenas um objeto!

Acrescentar uma Parte
Duração do Jogo: 50 minutos.
Objetivo: Incentivar e estimular a verbalização improvisada.
Foco: Usar experiências vivenciadas numa história.
Descrição: Um grupo de jogador atua e outro observa. É escolhido um tema, de forma aleatória, e assim, o primeiro jogador inicia a história. Um a um, os jogadores verbalizam, em sentido anti-horário, acrescentando uma parte no enredo. 
Dica observada: Instigar os jogadores a verbalizar e identificar fatores como personagens, local e época da história.
Instrução utilizada: Deixe-nos ver o que você está vendo! Jogue em grupo! 

História Improvisada
Duração do Jogo: 50 minutos.
Objetivo: Improvisar histórias através da comunicação verbal.
Foco: Em utilizar a comunicação verbal em cena improvisada.
Descrição: Todo grupo formará um círculo. É escolhido um tema para o enredo e a letra para o início da história. Cada jogador dará sequência na história obedecendo à ordem das letras no alfabeto. Exemplo:
Letra escolhida: M 
Tema: Praia 
1º Jogador: - Meu Deus, que sol está na praia! 
2º Jogador: - Não acredito, esqueci o bloqueador solar!
3º Jogador: - Opa, eu acho que eu trouxe!
Dica observada: Instigar os jogadores a verbalizar e identificar fatores como personagens, local e época da história.
Instrução utilizada: Não esqueçam o tema! Expressem com sentimento!  

Fonte: 
http://www.educacaofisica.com.br/index.php/escola/canais-escola/lazer-recreacao/27105-jogos-de-improviso-sao-aliados-da-educacao-fisica-escolar

Att. 
Hanna Oana Pereira Szumski

sexta-feira, 28 de março de 2014

Atividade física para crianças e adolescentes é aconselhável ou não?

Apesar das atividades físicas terem inúmeros efeitos positivos comprovados cientificamente, quando realizadas de forma e intensidade exageradas nesta faixa etária (crianças e adolescentes), podem causar efeitos negativos no crescimento e desenvolvimento.


Ao decidir-se matricular crianças e adolescentes em uma aula de esporte ou atividade física, é necessário considerar o seu estado maturacional, fase de desenvolvimento e crescimento em que se encontra, além dos aspectos fisiológicos e nutricionais. É necessário entender que as crianças e adolescentes encontram-se em um estágio diferente, e que isso deve ser considerado na hora da escolha de qualquer atividade. Além disso, possuem necessidades energéticas, aspectos fisiológicos e estruturais particulares muito diferente dos adultos.

As fases de desenvolvimento, crescimento e metabolismo em crianças ocorrem como um processo contínuo, acontecendo em ritmos e momentos diferentes, sendo mais intenso principalmente nos dois primeiros anos de vida. Um fator importante a se averiguar nas crianças e adolescentes que praticam atividade física regularmente, são as suas necessidades energéticas. Em crianças em fase de crescimento, o metabolismo plástico (anabolismo) exerce um papel importante, e consequentemente há maior demanda de vitaminas, sais minerais, entre outros nutrientes. Assim, as crianças fisicamente ativas precisam consumir energia suficiente para alcançarem suas necessidades de maturação e crescimento de tecidos, além do desempenho de suas atividades intelectuais e físicas. Desse modo, a inadequada ingestão energética pode ocasionar consequências sobre o crescimento.

É importante aos pais ficarem atentos, quanto ao alto consumo calórico (proporcionado principalmente pela prática esportiva) e a baixa ingestão de nutrientes, pois essa realidade estabelece balanço energético negativo, o que é prejudicial e contribui para promover baixa estatura, aumentar o tempo de recuperação e retardar a puberdade. Uma boa hidratação também se faz importante, as crianças produzem mais calor por unidade de massa corporal em relação aos adultos, além disso, transferem menos o calor para a superfície corporal e suam menos.

Outro dado importante no crescimento das crianças, ou adolescentes, é que eles possuem pulmões, coração e volume sanguíneo menores, consequentemente não possuem o VO2máx completamente desenvolvido, possuindo, portanto, menor capacidade cardiorrespiratória, menor débito cardíaco e menor capacidade respiratória. Desse modo, o trabalho muscular intenso e excessivo, associado a sobrecarga, podem ocasionar desvios no desenvolvimento normal da criança, principalmente na altura e ritmo de crescimento, além do desenvolvimento somático, funcional e intelectual. O corpo da criança passa por rápido desenvolvimento, principalmente nas extremidades (dedos, braços e pernas), não estando as crianças aptas a fazer esforços exagerados, podendo causar estresse e desviar a energia destinada ao crescimento, além de provocar lesões e prejudicar a saúde da criança.

E qual a importância da atividade física nessa fase? A prática adequada melhora a capacidade cardiorrespiratória, tonifica os músculos, ajuda na manutenção do peso ideal, favorece a saúde e a densidade óssea, além de proporcionar bem-estar psicológico e integração social. Em longo prazo também está correlacionada com benefícios ao aparelho locomotor.

Em relação aos riscos da atividade física intensa para crianças em fase escolar, é essencial que esta seja prescrita por um professor de educação física. Toda e qualquer atividade deverá ser orientada criteriosamente por um profissional capacitado, para que possa auxiliar no crescimento e desenvolvimento morfofuncional do organismo.

A educação física e o esporte representam uma importante alternativa na melhora e desenvolvimento morfofuncional do organismo, condiciona o coração, aumenta e tonifica a musculatura, e favorece a manutenção do peso ideal, porém cada criança e adolescente deve ser acompanhado de maneira individual quanto as suas necessidades particulares, e o auxílio de um profissional da educação física se faz necessário para o melhor aproveitamento da atividade escolhida e desta fase tão especial.

Fonte:   http://www.educacaofisica.com.br/index.php/escola/canais-escola/crescimento-desenvolvimento/27113-atividade-fisica-para-criancas-e-adolescentes-e-aconselhavel-ou-nao

Att, Érica Fernanda de Paula




quinta-feira, 27 de março de 2014

Excesso de treino e cobrança: riscos cardíacos e ortopédicos em crianças

Uma criança sadia, além de não ter doenças crônicas, sabe dicas positivas de alimentação,pratica atividades físicas livremente, sem cobranças ou escolhas determinadas pelos pais. Ela é que deve escolher o que mais gostaria de praticar.crianças ginastica (Foto: Getty Image)
Em nossa Seção de Cardiologia do Esporte do Inst. Dante Pazzanese de Cardiologia recebemos uma média de 15 crianças/adolescentes por semana para avaliações cardiológicas, e nossa surpresa é que encontramos em muitos, o que chamamos de adaptações fisiológicas do coração de atleta, precoce, nesses garotos. Além disso o início de alguns problemas ortopédicos, pelos abusos e erros dos exercícios, sejam de força (“puxar ferro ou musculação”) ou sejam exercícios de resistência (corridas longas).
Quem deve orientar exercícios é o profissional da área, o educador físico, mas a falta deles e treinos exagerados, para satisfazer pais ansiosos, deixam de lado as recomendações dos ortopedistas pediátricos e cardiopediatras em relação aos exageros desnecessários.
Alguns pais não aceitam derrotas dos filhos que começam a sentir o peso das competições e da pressão por bons resultados. Depois estimulam os excessos físicos, trazendo risco para a saúde e perda do gosto da criança para o esporte. Não são poucos ótimos atletas mirins, que desistem por estarem saturados das cobranças e dedicação exagerada necessária para vencer como atleta.
O nosso banco de dados do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e do HCor – Hospital do Coração mostra que 23% dos jovens examinados tem alguma alteração nos exames cardiológicos, variando de benigno ou não, quase que todos sem se queixar de qualquer sintoma.

As avaliações dos meninos das “peneiras de futebol” de quatro clubes paulistas apontaram alterações no eletrocardiograma simples em 17% deles. Por isso, a realização inicial de exames cardíacos ao ano esportivo e repetido periodicamente é essencial.
Recentemente tratamos uma atleta de quase 18 anos, vitoriosa e forte promessa para a Olimpíada de 2016, com uma cardiopatia genética de risco. Necessitou de uma Ablação (uma espécie de intervenção cirúrgica), para ser curada totalmente e recomeçar seus treinamentos. A surpresa foi o problema ter sido descoberto apenas agora, em pleno andamento da carreira. Não foi o primeiro caso que tivemos.
fiscal da saúde é a família, então exijam que se façam as avaliações médicas competentes e não só um “quebrar o galho” administrativo. A prática esportiva, seja de lazer ou federada/competitiva, exige no mínimo uma consulta, um eletrocardiograma e alguns poucos exames de laboratório além da avaliação ortopédica mínima.
Para os profissionais da saúde estão disponíveis as Diretrizes da Soc Bras de Med Esporte e Exercício como da Soc Bras de Cardiologia que orientam os caminhos dessas avaliações médicas pré participação esportiva.

BY FELIPE
.* As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Globoesporte.com / EuAtleta.com.

Brincadeiras especiais divertem crianças na Páscoa

0,,68856998,00
Se para os adultos o feriado Páscoa é um período perfeito para curtir a família e recarregar as energias, para as crianças é tempo de brincar, enquanto esperam pelo coelhinho. 

Uma forma de reunir altinhos e baixinhos é promovendo divertidos jogos temáticos em casa, que além de entreterem também carregam significados.

“As brincadeiras relacionadas à Páscoa são muito importantes, pois trazem anos de história e tradição. Dessa forma, a criança assimila valores culturais que fazem parte da nossa sociedade”, explica Rosely Palermo Brenelli, pedagoga e professora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Caça aos ovos

A brincadeira mais clássica dessa data é bem simples. Os pais devem apenas esconder os ovos de chocolate em vários lugares da casa ou quintal, sem que as crianças percebam. Para alimentar o imaginário infantil e dar pistas de onde estão os quitutes, pegadas de coelhos, criadas com talco, devem ser espalhadas pela casa, além de cenouras roídas.

Pintar ovos

Reúna meninos e meninas para pintarem ovos de galinha, que depois de enfeitados podem ser entregues como presentes aos familiares. Para evitar sujeira, o melhor é trabalhar com os ovos já cozidos.

Rabo do coelho

Para essa brincadeira, é preciso desenhar um coelho, de lado ou de costas, numa cartolina, que deve ser fixada na parede. Também faça um pompom de lã, que servirá de rabo, e aplique um pedaço de fita crepe de um lado. Com olhos vendados, os participantes, um por vez, devem tentar colocar o rabinho do coelho no local certo. Quem alcançar o objetivo em menos tempo ganha a competição.

Corrida do ovo

Essa também é muito conhecida por ter sido feita em inúmeros programas infantis da televisão. Em um lugar amplo, as crianças apostam uma corrida com um ovo equilibrado em uma colher. Quem chegar na frente, pode ser o primeiro a ganhar o presente de Páscoa.

Toca do coelho

Crianças devem se dividir em grupos com três integrantes, sendo que dois – um de frente para o outro – ficam de mãos dadas. O terceiro é o coelho, por isso fica dentro da “toca” formada pela união dos braços dos companheiros. Além das equipes, é preciso que uma criança seja eleita como o coelho solitário, sem toca. No instante em que um adulto anunciar “Coelhinho, sai da toca", todos os coelhinhos se misturam, inclusive o solitário, e procuram novos amiguinhos. Quem ficar de fora é o novo coelho solitário.


Fonte:
http://www.educacaofisica.com.br/index.php/escola/canais-escola/lazer-recreacao/25228-brincadeiras-especiais-divertem-criancas-na-pascoa

Att.
Eduardo Oliveira

quarta-feira, 26 de março de 2014

12º CONEX recebe inscrições para apresentação de trabalhos até dia 08/04/2014


O CONEX – “Encontro Conversando sobre Extensão na UEPG ” é uma iniciativa da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Culturais, através da sua Divisão de Extensão Universitária, que objetiva estabelecer um canal permanente de divulgação e discussão das ações extensionistas realizadas pela comunidade acadêmica da UEPG.
Enquanto “encontro acadêmico”, o CONEX buscará congregar todos os Departamentos/Órgãos que trabalham em Extensão Universitária, a fim de que se possa ter a dimensão da atuação dos mesmos, promovendo deste modo, o intercâmbio e o aprofundamento a respeito da prática da Extensão Universitária.
OBJETIVOS
  • Possibilitar a divulgação das atividades de extensão desenvolvidas na UEPG e em outras instituições;
  • Propiciar o intercâmbio de conhecimentos e informações com outras instâncias da universidade e da sociedade;
  • Discutir formas de ampliar, consolidar e diversificar as atividades extensionistas na UEPG.
  • Promover um espaço de integração entre ensino, pesquisa e extensão;
  • Ampliar, consolidar e diversificar as ações extensionistas;
  • Fortalecer o desenvolvimento de ações extensionistas através de parcerias com a comunidade.
Saiba como participar em: http://sites.uepg.br/conex/

Att. Edilson de Oliveira

terça-feira, 25 de março de 2014

Exercícios ao ar livre trazem mais resultados


Estudos dizem que os exercícios ao ar livre são mais benéficos que os praticados em ginásios e academias  Foto: Getty Images
Estudos dizem que os exercícios ao ar livre são mais benéficos que os praticados em ginásios e academias
Foto: Getty Imag

Praticar exercícios físicos em lugares abertos pode ser mais saudável e eficiente do que praticá-los entre quatro paredes. Um estudo realizado na Universidade de Glasgow com mais de 2 mil pessoas apontou que correr, andar de bicicleta ou caminhar em áreas verdes diminui consideravelmente os níveis de stress, tensão e depressão. De acordo com oHuffignton Post, apenas 5 minutos de exercícios junto à natureza ainda podem melhorar o humor e a autoestima. Conheça outros benefícios proporcionados pelos exercícios ao ar livre.
Aumento da atenção e foco
Uma pesquisa feita pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, apontou que crianças portadoras de déficit de atenção são capazes de se concentrar melhor após 20 minutos de caminhada no parque.

Motivação para exercitar-se
Um estudo da Universidade de Exeter, no Reino Unido, avaliou a frequência com que as pessoas praticavam exercícios. As que optavam por exercícios ao ar livre se mostraram mais propensas a repetir a atividade física dentro de um período.

Menor chance de obesidade
O ar fresco e a luz do sol inspiram a prática de exercícios. Um estudo publicado pelo Internacional Journal of the Obesity defende que crianças que passam mais tempo do lado de fora de suas casas tem menos chance 41% menos chances de serem obesas. Isso se deve à combinação de hábitos indoor: sofá, televisão, computador e vídeo-game.

Mais energia
Em 2009, um estudo da Universidade de Rochester, provou que 20 minutos gastos do lado de fora, ao ar livre pode ser mais revigorante que um xícara de café.

Rapidez na recuperação
Segundo uma pesquisa feita na Universidade de Pittsburg, nos Estados Unidos, apontou que os pacientes que tem contato frequente com a luz do sol apresentam recuperação mais rápida e menos dor que os pacientes que não vão aos ambientes externos.

Bons níveis de vitamina D
Levar os exercícios para o lado de fora da academia é uma boa maneira de sintetizar a vitamina D. Um estudo feito na Universidade de Harvad mostrou que os adeptos aos exercícios rigorosos têm níveis de vitamina D mais adequados que as pessoas que não praticam essas modalidades.

Fonte: http://saude.terra.com.br/bem-estar/exercicios-ao-ar-livre-trazem-mais-resultados-dizem-estudos,dcd8dd80aff18310VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

Att.
Caroline Iatczaki da Rosa

segunda-feira, 24 de março de 2014

A Importância da Dança na Educação Infantil

criança dançando

Desenvolver a musicalidade e a expressão corporal na educação infantil é muito importante não só para trabalhar atividades que envolvam música e dança, mas também para o reconhecimento de seu corpo, de suas possibilidades e limitações espaciais, temporais e laterais.

É necessário salientar que as atividades que envolvem música e dança é sem dúvida um importante meio de inserção de cultura e prazer, julgando que as crianças sabem relacionar música e dança, pois é algo materno e com certeza elas irão perceber essa atividade como uma possibilidade de brincar e não há nada mais grandioso do que aprender brincando.


kids dancing


nini dançando
É difícil imaginar uma criança que ao ouvir determinada música não acabe dançando, isso vem desde muito cedo devido ela vivenciar diferentes situações nas quais os adultos mesmo sem perceber acabam passando essa ideia de que música foi feita para dançar e expressar diferentes emoções. Mas não é só esse o papel da música na educação, ela vai muito além de uma gostosa diversão.
Nesse sentido, o trabalho com a música e com a dança pode favorecer o desenvolvimento corporal da criança tendo o objetivo de combinar movimento e ritmo adequado de acordo com a estrutura rítmica da música. Facilitar a socialização e contribuir para o relaxamento muscular e psicológico de cada aluno é um dos fatores que tornam essa prática muito importante.

A música tem que ser entendida como uma linguagem e não como uma forma de estratégia para banalizá-la. Tem que mostrar um amplo universo de sons para o aluno. Isso vai ajudá-lo a ampliar seus sentidos, como a visão, o tato e, principalmente, a audição.

A Dança e a Criança - Os Benefícios

Através da dança seu filho aprende as noções de espaço, seqüência, padronização e uma conscientização do próprio corpo.
danças de crinças
Benefício emocional
A dança é uma forma de expressão que ajuda seu filho a explorar os seus sentimentos, além de adquirir maior autoconfiança.

Benefício social
A dança é uma experiência comum que promove a tolerância e apreço pelos outros.

Benefício cultural
Dançar fomenta o interesse em outras culturas. Ao estudar formas de dança que se originam em outros países seu filho adquire compreensão histórica de outros povos.
dança de criança
Qual é o melhor estilo?
Não importa o estilo, o importante é que seu filho tenha uma experiência agradável e bem movimentada que explore as suas habilidades individuais através de experiências de aprendizagem.
importancia da dança infantil
Geralmente as aulas de dança para crianças centram-se na criatividade e nas possibilidades de movimento. Assim elas podem desenvolver uma preferência pessoal por padrões de movimentos e estilos.



portal crescer
Os aspectos explorados em uma classe de dança para crianças são:

Elementos e energia.
Elementos que envolvem o corpo no tempo e no espaço, na qual as crianças aprendem a usar esses elementos para expressar-se artisticamente.

Anatomia e alinhamento.
O corpo é o instrumento da dança que deve ser mantido em perfeita sintonia. Portanto, aprende-se a organizar e alinhar o corpo afim de que possa mover-se de maneira eficiente e saudável.

Movimento criativo.
As crianças aprendem a fazer escolhas de movimento estético para coreografar com forma, estrutura e significado.


A dança desenvolve estímulos como:

Tátil – sentir os movimentos e seus benefícios para o corpo;
Visual – ver os movimentos e transformá-los em atos;
Auditivo – ouvir a música e dominar o seu ritmo;
Afetivo – emoções e sentimentos transpostos na coreografia;
Cognitivo – raciocínio, ritmo, coordenação;
Motor – esquema corporal, coordenação motora associada ao equilíbrio e flexibilidade.

criançar bale



















Matriculando seu filho em aulas de dança
Observe as seguintes questões antes de matricular seu filho:
criança dançando sapateado

Você pode assistir à primeira aula?
A professora parece consciente dos limites físicos, emocionais e sociais dos alunos infantes?
A professora parece entusiasmada com a classe? O material que ela oferece desperta o interesse das crianças?
Os alunos são agrupados de acordo com a idade, habilidade e desenvolvimento social?
O espaço está limpo, arejado, bem iluminado e é livre de obstruções?
O piso é resistente e bem conservado?
Tem espaço suficiente para trocar de roupa? Tem fácil acesso à água potável e aos banheiros?

dançar criança

A dança trás inúmeros benefícios sociais, culturais, cognitivos, emocionais e motores de maneira conceitual e procedimental, que favorecem para a criança, a conscientização do seu corpo e do senso crítico, formando um cidadão autônomo, ciente de seus direitos e deveres, e ainda de maneira divertida e prazerosa, aprender brincando!




Fonte: http://portalcrescer.blogspot.com.br/2011/09/importancia-da-danca-na-educacao.html

Att.
Caroline Matias



domingo, 23 de março de 2014




Saiba quais os alimentos bons e ruins 



para a saúde do coração...



Peixes, fibras, probióticos e antioxidantes são opções amigas do coração.

Fazer atividade física regularmente é uma das maneiras de manter o coração saudável, já que exercita o músculo cardíaco, ajuda na perda de peso e melhora a pressão arterial. Porém, o exercício isolado ainda não é suficiente na prevenção de problemas e, por isso, é fundamental ainda ter uma alimentação balanceada, evitar excessos e fazer escolhas certas de alimentos, como explicaram os cardiologistas Roberto Kalil e Daniel Magnoni no Bem Estar.
Um dos principais alimentos amigos do coração é o peixe - entre opções, como costelinha de porco, bife e peito de frango, o peixe é a melhor opção já que tem pouca gordura saturada e ainda tem gorduras boas, como o ômega 3, que fazem bem à saúde cardíaca. Uma opção é a sardinha, bastante usada na culinária espanhola. Ao prepará-la, são utilizados ingredientes como tomate e azeite, que também são bons, como explicou o cardiologista Daniel Magnoni.
O tomate faz bem ao coração porque tem licopeno, antioxidante que ajuda a limpar as artérias e bloquear os radicais livres, além de fibras, que reduzem o colesterol e ainda ajudam a prevenir o câncer porque melhoram o funcionamento do intestino. Já o azeite é um óleo rico em gordura monoinsaturada, importante para diminuir o colesterol ruim e o total.
Colesterol valendo (Foto: Arte/G1)
info colesterol (Foto: arte / G1)
Outro alimento rico em gordura monoinsaturada é a castanha do Pará, que também tem selênio, outro antioxidante. Há ainda a uva, rica em flavonoides, substâncias antioxidantes que ajudam na redução do colesterol total e ruim – no entanto, esses benefícios estão na casca da uva e, por isso, é fundamental não retirá-la.
A casca da uva também tem fibras, mas vale ressaltar que existem dois tipos – as solúveis e insolúveis. As fibras solúveis são as que fazem bem ao coração porque diminuem a absorção de glicose e colesterol no intestino, reduzindo a glicemia e as gorduras no sangue. Já as insolúveis atuam na prevenção do câncer porque melhoram o trânsito intestinal. Entre os alimentos com mais fibras solúveis, estão a maçã, pera, cenoura e escarola.
Outras substâncias importantes para melhorar o intestino e diminuir a absorção do colesterol e da glicose são os probióticos, bactérias do bem que regeneram a mucosa intestinal. Já os fitoesterois também são nutrientes importantes porque diminuem a absorção da gordura no intestino.
Todos esses alimentos fazem bem ao coração, mas existem também aqueles que fazem mal, como os ricos em gordura saturada. Essa gordura aumenta o risco de aterosclerose porque aumenta o colesterol ruim no sangue e deposita gordura nas artérias. Por isso, alimentos como banhas, manteigas, carnes gordas e leites integrais, por exemplo, devem ser evitados.
O sal em excesso também é um vilão da saúde cardíaca porque eleva a pressão arterial, endurece as artérias e prejudica a função renal, aumentando as chances de infarto e derrame, como alertou o cardiologista Roberto Kalil.
Da mesma maneira, o açúcar em excesso também é ruim porque leva à obesidade, aumentando o risco de diabetes e lesão nas artérias.
Uma das maneiras de evitar o excesso de sal é optar pela mistura de ervas e temperos, como sugeriu a nutricionista Elaine Moreira. Ela alerta, no entanto, que é fundamental colocar só um pouco nas receitas para o sabor não ficar muito marcante (confira no vídeo acima).
Rampa ou escada?
Além da alimentação saudável, a atividade física também é importante para manter o coração saudável. Pequenas atividades do dia a dia, como subir uma rampa ou uma escada, por exemplo, já podem ajudar, como mostrou a reportagem da Daiana Garbin (confira no vídeo abaixo).
Com a ajuda de uma voluntária, a repórter mostrou as diferenças entre as duas modalidades – após subir e descer a escada, a Rose, de 43 anos, teve a frequência cardíaca em 162 batimentos, enquanto na rampa essa frequência chegou a 151 batimentos.
Fora isso, a escada exige muito mais dos músculos e trabalha muito mais o corpo, queimando mais calorias.
O cardiologista Roberto Kalil alerta, no entanto, que seja subindo uma rampa ou uma escada, o importante mesmo é fazer atividade física, como prevenção e tratamento de problemas do coração. Porém, quem tem alguma doença deve começar a se exercitar sempre com acompanhamento médico.
Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2014/02/saiba-quais-os-alimentos-bons-e-ruins-para-saude-do-coracao.html
Att
Bruna Sansão

.

sábado, 22 de março de 2014

Falcão critica ‘ditadura’, deixa seleção e diz que companheiros vão segui-lo


A guerra está declarada. Após confirmar que não defenderá mais a seleção brasileira, Falcão, bicampeão mundial e quatro vezes melhor jogador do mundo no futsal, explicou no “Arena SporTV” os motivos de sua decisão. O jogador fez duras críticas à Confederação Brasileira de Futsal (CBFS) e disse haver uma ditadura na entidade. Triste, Falcão ainda destacou que outros jogadores de sua geração estão ao seu lado, e que se manifestarão em seguida à sua declaração.
- É uma decisão triste e vou deixar bem claro que não é uma decisão só minha. Eu e todos os últimos campeões do mundo, de 2008 e 2012, estamos juntos nessa. Eles pediram para eu ser o primeiro a falar e não tenho rabo preso com ninguém. Defendi a seleção brasileira da melhor maneira possível. Vemos a cada ano que passa o futsal andar 20 anos para trás. Temos débito desde o ano passado, nós e o futsal feminino também, não recebemos nossos direitos desde julho, e ainda há várias situações de ameaça em convocação em 2012, algumas que a gente engoliu ao longo do tempo. Tenho orgulho da minha geração, num momento em que ninguém mais pensa em seleção brasileira, muito pelo contrário. Estamos fazendo isso pelo bem do esporte, que não pode ficar nas mãos de pessoas erradas, e pensando nas próximas gerações.
O camisa 12 montou um dossiê a respeito da atual gestão da CBFS, e no “Arena” contou alguns problemas com os quais conviveu nos últimos tempos. Ele ainda promete que, se o dinheiro que diz não ter recebido da entidade chegar, ele será doado a instituições de caridade. Falcão não quer nenhum centavo da CBFS.
- A gente espera que o futsal vá para mãos certas, que tenham pessoas focadas no esporte, não em tornar uma ditadura, que é o que vem acontecendo. Chegou ao ponto de a gente concentrar no centro de treinamento em Fortaleza e não ter TV no quarto e nem internet, porque não tinham pago as contas. Ficamos praticamente como prisioneiros. Já deixei claro que não quero mais um centavo da CBFS. O que vier, se um dia vier, vou direcionar para uma entidade, não quero mais nada que venha de lá, é uma falta de respeito muito grande.
Apesar da decisão de não jogar mais pela seleção, Falcão não descarta um retorno, obviamente que apenas se outra diretoria estiver à frente. Ele ainda cita o episódio ocorrido no Mundial de 2012, quando jogou mesmo após ter sofrido um AVC.
- Daqui a pouco os outros jogadores vão postar algumas coisas em relação a isso, e a gente quer o bem para o esporte. Minha carreira na seleção talvez tenha acabado, embora outra diretoria, se precisar de mim, estou à disposição. Mas da forma que está hoje não faço questão de ir, não tenho mais prazer de ir, muitos não têm. Então, a nossa intenção é começar uma briga para que tenham pessoas competentes lá dentro. Cheguei a jogar um Mundial com AVC, com um lado (do rosto) paralisado, assumi a responsabilidade e nem um “muito obrigado” recebi. É muita frieza, muita coisa contrária aos atletas. É triste, estou tirando um prazer da minha vida que é vestir a camisa da seleção brasileira, mas preciso tomar uma atitude para as coisas mudem de alguma forma no futsal – afirmou.
Falcão também deixou claro que segue jogando em seu clube, o Sorocaba, time que defende desde o início deste ano. Indagado sobre o responsável por essa gestão, o jogador aponta o diretor de seleções Edson Nogueira, a quem faz duras acusações.
- Tem algumas coisas que não concordo e não aceito, porque depois disso virou uma ditadura. É o mesmo diretor que levou o Santa Cruz para a quarta divisão do Campeonato Brasileiro, é um diretoria autoritária. O nome dele é Edson Nogueira. Teve ocasiões em que fomos ameaçados sim de não vestir mais a camisa da seleção se não fosse da forma dele. Quando fui questionar a falta de TV e internet no CT, ele disse: “não tem e é assim”. A seleção deixou de ser brasileira, virou seleção Edson Nogueira. Teve uma homenagem ao goleiro Mateus – nada contra ele – que jogou uma semana na seleção em um torneio em 1997, e porque é amigo dele. Acho ótimo a homenagem, mas questionei: cadê a homenagem do Manoel Tobias, do Fininho, Choco, Douglas, Vander, Leninho, Schumacher, por que só com o cara que é amigo? O que o ajuda vale, o que não ajuda não vale. Sempre que a comissão técnica vai fazer uma convocação – nada contra ela, adoro o Ney Pereira – já se coloca na mesa seis ou sete nomes que não podem ser convocados. Assim como tem acontecido com a Vanessa no futebol feminino, que fez uma postagem no ano passado em que achava um absurdo a seleção feminina não ir para o Mundial, e ela foi afastada e até agora não recebeu o que é de seu direito. A coisa está afundando. Graças a Deus não dependo mais disso, agradeço muito ao meu esporte, mas estamos pensando na geração que está vindo e na sequência do futsal.
Através da produção do “Arena SporTV“, Edson Nogueira disse que vai esperar um posicionamento oficial da Confederação Brasileira de Futsal, que respeita a opinião de Falcão, mas não concorda com ela. O jogador ainda citou a ausência do goleiro Tiago na equipe brasileira como outro absurdo da atual gestão.
- O Tiago, melhor goleiro do mundo e bicampeão do mundo, simplesmente questionou um trabalho do preparador de goleiro, que era um amigo do Edson Nogueira, e disse que havia outras pessoas que podiam ajudar mais, numa boa. Depois disso, ele não foi mais (para a seleção). A seleção brasileira hoje começa pelo Tiago, e ele não está indo, e tem mais um Mundial pela frente. Eu não jogo mais o Mundial, já deixei claro que quero ficar com a história do último, mas não aceito o futsal perder porque o cara achou que ele não devia ter falado uma coisa com a maior educação do mundo, não aceito isso.


Att. Ana Ellen Soares Kochinski

sexta-feira, 21 de março de 2014

HANDBEACH




Conhecido como Handebol de Areia ou Handebol de Praia, é um esporte novo que foi criando em 1993 na Itália, sendo que também era muito praticado de modo semelhante na Holanda, logo esses países unificaram as regras que mais tarde foram aceitas na Federação Internacional de Handebol. Em 1995 estreou no Festival Olímpico de Verão no Rio de Janeiro com a participação de 4 paises: Brasil, Itália, Argentina e Portugal, onde o Brasil sagrou-se campeão. Desde então o esporte foi ganhando visibilidade. Em 2001 foi realizado em Akita no Japão o primeiro campeonato mundial da modalidade. O Brasil terminou em 3º lugar tanto com a equipe masculina quando feminina. O esporte tem como principal filosofia o fair play, apresentando menos contato físico e devido à quadra de areia não é possível driblar a bola, proporcionando um jogo muito mais dinâmico do que o esporte praticado em quadra, sendo um esporte agradável de assistir pela combinação do ambiente praia com belíssimos gols.


Regras Básicas

A quadra de jogo mede 27m x 12m, a área do goleiro mede a 6m sendo paralela a linha de fundo. Cada equipe joga com 4 jogadores em quadra, sendo 3 de linha e 1 goleiro, que também participa do ataque quando sua equipe está com a posse de bola, formando uma situação de 4 contra 3. As substituições são ilimitadas. O jogo dura dois tempos de 10 minutos, com um intervalo de 5 minutos, se qualquer um dos tempos terminar empatado, o desempate ocorre no sistema de “gol de ouro” onde a primeira equipe a marcar gol vence o tempo. Quando cada equipe vencer um tempo, o desempate ocorre com 5 tiros de “um contra o goleiro” ou “Shoot out” para cada equipe, onde o time que está defendendo fica apenas com o goleiro em quadra, já o que está com a bola fica com dois jogadores em quadra, um de linha e o goleiro. O jogador de linha passa a bola ao goleiro do seu time que deve ficar dentro da sua área e pode jogar direto para o gol ou devolver a bola ao seu companheiro de equipe que finaliza a gol. Cada tempo de jogo e/ou tempo de desempate inicia-se com o Tiro do Árbitro (bola ao alto). As faltas podem ser tiros livres, cobrada do local onde ocorreu ou tiro de 6 metros, que seria como o 7 metros do handebol de quadra.


Gols

Diferentemente do esporte de quadra, o Handbeach apresenta gols que valem um ponto, que são os gols simples e os que valem 2 pontos que são conhecidos como “gols espetaculares”, quando o gol é feito com uma pirueta (jogador faz um giro completo e arremessa a bola ao gol), ou em jogada aérea (jogador recebe o passe alto e finaliza em gol antes de tocar o solo). Gols do goleiro e de tiro de 6 metros também valem 2 pontos. 








Att. Aline Melnyk