Total de visualizações de página

Pesquisar no blog

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Estude Sonhando


Encontrei durante uma de minhas viagens na rede, uma postagem da Revista Superinteressante (por Larissa Santana) que tem como título “Como se lembrar dos sonhos”. A curiosidade levou-me a ler as dicas da matéria e resolvi coloca-las em prática. Como explica a matéria, durante o sono processamos todas as informações coletadas no decorrer do dia, sonhar seria então uma forma de reviver/relembrar o que fizemos.

DICAS
Concentre-se no que quer sonhar
Se você deseja encontrar a resposta para algum problema, fixe o pensamento nele antes de dormir. O sonho está ligado ao momento mais profundo do sono, em que nossa mente ordena o que processou durante o dia. Ao ir para a cama, aproveite para associar um lembrete ao dilema, como um Post-it ou um objeto do quarto. Ao vê-lo pela manhã, você se lembrará justamente de não se esquecer do sonho.

Escreva um diário
Registre qualquer fragmento do sonho. O hábito aguça a memória e nos condiciona a recordar. Se despertar na madrugada, faça isso imediatamente - temos cerca de 4 sonhos por noite, mas, ao acordar, costumamos nos lembrar apenas do último.

Não se mexa
O sonho está ligado à postura: toda vez que um acaba, trocamos de posição ou nos espreguiçamos. Manter-se do jeito que estávamos enquanto o sonho acontecia é importante para resgatá-lo. O ideal é continuar de olhos fechados e fazer esforço para se lembrar.

Acorde naturalmente
Se você usa despertador ou (ainda) é acordado pela mamãe, lembrar-se do sonho fica difícil. Quando somos despertados, o ciclo do sono pode ser interrompido. O risco de você despertar confuso - e de o sonho sumir - é grande.

Talvez possamos utilizar os sonhos para estudar, se lermos e em seguida formos dormir, levando conosco as indagações ou problemas do estudo, buscando realizar estes passos, temos grandes chances de resolver os problemas durante o sono, assim diminuímos o estresse do dia seguinte. Já utilizei estas dicas algumas vezes, os resultados foram positivos.

Att. Edilson de Oliveira


Fontes Denise Gimenez Ramos, coordenadora do Núcleo de Estudos Junguianos da Pós-Graduação em Psicologia da PUC-SP; Walkiria Helena Grant, psicanalista e professora do Instituto de Psicologia da USP; e Priscila Craveiro Junqueira, mestre em neurologia pela Faculdade de Medicina da USP.

domingo, 29 de junho de 2014

Especialistas dão dicas do que observar ao comprar um sapato

O ideal é sempre pensar em comprar o calçado de acordo com o tipo de pé, para evitar dores e desconforto. O ortopedista André Pedrinelli deu a dica ainda de sempre comprar o calçado no fim do dia, quando os pés costumam inchar mais.

Um problema muito comum é o pé tentar se adaptar ao sapato novo, o que pode causar dor, incômodos e até gerar calos. O ideal, portanto, é o sapato novo se adaptar ao pé.
As mulheres principalmente costumam ter mais problemas porque costumam escolher os calçados pela beleza, especialmente os de salto alto ou bico fino - o ortopedista André Pedrinelli explicou que, ao usar salto, todo o peso fica concentrado na parte da frente do pé, o que pode causar dor e outros problemas.
Saúde dos pés (Foto: Arte/G1)
Além de tomar cuidado ao escolher o calçado para o dia a dia, é fundamental ainda saber o calçado certo na hora de fazer esporte, como explicou o gerente de desenvolvimento de calçados e meias Virgílio Leite. Para quem corre, por exemplo, é importante que o tênis tenha amortecimento para aliviar o impacto da pisada, além de ser um número maior. Na hora de jogar futebol, por outro lado, a dica é olhar a altura da grama - se for curta, a chuteira deve ter travas menores; se for alta, as travas são maiores.
No caso dos jogadores profissionais, no entanto, as características são outras e as chuteiras variam de peso, tamanho e quantidade de travas. Zagueiros, por exemplo, usam chuteiras com mais travas e compridas porque precisam mudar de direção rapidamente; já os atacantes precisam de mais velocidade para correr e, por isso, usam chuteiras com menos travas e mais curtas. O programa mostrou, porém, que as chuteiras evoluíram muito com o tempo e passaram a ser muito mais leves, para melhor desempenho dos jogadores.

Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2014/06/especialistas-dao-dicas-do-que-observar-ao-comprar-um-sapato.html
Att
Caroline Iatczaki da Rosa

sábado, 28 de junho de 2014

Melhorias viárias, qualificação profissional e aperfeiçoamento de sistemas compõem legado da Copa


Deu trabalho, alimentou discussões, mas, encerrada a participação de Curitiba na Copa do Mundo FIFA 2014 em Curitiba, é possível afirmar que a cidade ganhou ao sediar a competição. E não se trata apenas da intensa circulação de turistas e jornalistas nos 11 dias entre a primeira e a quarta partida na Arena da Baixada – que gerou empregos, visibilidade, renda e intercâmbio cultural. Depois que a última leva de visitantes for embora, Curitiba herdará uma série de melhorias na infraestrutura viária, nos serviços públicos, na qualificação de servidores públicos e trabalhadores do setor privado e nos sistemas de monitoramento em áreas como saúde, segurança e trânsito.
Mobilidade melhor
As obras de mobilidade – parte mais visível do chamado “legado” da Copa – trouxeram muitos benefícios para a população curitibana. Levantamento da Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) indica que o tempo médio de percurso entre o Aeroporto Afonso Pena e a Rodoviária foi reduzido em 10 minutos, graças às obras de requalificação da Avenida Comendador Franco (Avenida das Torres). Além de dar mais fluidez e segurança ao tráfego, as obras dotaram a avenida de ciclovias, calçadas preparadas para acessibilidade e paisagismo. O PAC da Copa também garantiu a reforma da Rodoferroviária – que ficou mais confortável, bonita e acessível para pessoas com deficiência – e uma grande melhora no acesso a São José dos Pinhais pela Avenida Marechal Floriano Peixoto. Antes estreito, com apenas duas pistas, o viaduto sobre a via foi alargado e agora tem seis pistas: duas exclusivas para ônibus e quatro para os demais veículos.
Além disso, pedestres e ciclistas  ganharam mais segurança para transitar graças às passarelas exclusivas construídas nas laterais do viaduto. Há mais três lotes de obras em fase de conclusão na Marechal Floriano, envolvendo pavimentação, sinalização, redes de transmissão de dados, paisagismo, calçadas, iluminação e ciclofaixas. É, efetivamente, uma nova avenida, mais segura, mais bonita e com trânsito melhor.
Sistema Integrado de Mobilidade
Financiado pelo PAC da Copa, o Sistema Integrado de Mobilidade (SIM) garante segurança nos terminais e estações tubo e mais eficácia no monitoramento do transporte público. O SIM conta com 622 câmeras de monitoramento do transporte, instaladas em estações tubo e terminais, e 89 câmeras de monitoramento do trânsito instaladas em pontos chave de ruas e avenidas, além de 694 painéis eletrônicos em terminais e estações tubo, para informar horários de ônibus, e 44 de trânsito. As informações das câmeras são disponibilizadas, em tempo real, para veículos locais de comunicação e os dados do SBE são disponibilizados, gratuitamente, desde abril de 2013, a grupos e empresas (atualmente, 25) interessadas no desenvolvimento de aplicativos que possam auxiliar o cidadão. Nos terminais e estações o cidadão é informado do horário de chegada do próximo ônibus.
Sinalização
Outro investimento que melhorou a cidade para a Copa mas fica como ganho para os moradores é a pintura a revitalização de 99.500 metros de sinalização de trânsito. Essa extensão inclui faixas de pedestres, caixas de estacionamento e balizamento de vias, principalmente na região central. Além disso, todas as placas e canos utilizados para sinalização específica da Copa serão reaproveitados.

Qualificação
As possibilidades de capacitação abertas pela realização da Copa representaram ganho na qualificação de profissionais de diversas áreas e, em consequência, na qualidade dos serviços. Uma delas é a de defesa social. Desde o início do ano passado, um total de 385 guardas municipais de Curitiba participaram de 24 treinamentos em áreas diversas, visando o Mundial. O grupo da Guarda Municipal de Curitiba destacado para atuar diretamente na Copa passou por treinamentos de gerenciamento de crise, planejamento operacional, policiamento em estádio de futebol, segurança a dignatário e escolta, batedores e segurança de dignatários, entre outros.
Profissionais da Secretaria Municipal da Saúde foram capacitados em Gestão de Emergências em Saúde Pública. O resultado é a ampliação da capacidade de preparação e resposta a grandes eventos, múltiplas vítimas e emergências em saúde pública. Também foram capacitados profissionais na área de boas práticas de manipulação de alimentos para o comércio ambulante e de pequeno porte.
Na área de turismo, o Instituto Municipal de Turismo (CTur) capacitou para o atendimento de visitantes aproximadamente 500 profissionais que atuam nas áreas de entretenimento (shopping centers) e segurança pública (policiais militares). Atendentes da Central de Atendimento e Informações – serviço 156 da Prefeitura – também foram qualificados para prestar informações sobre a cidade. Foram oito turmas com aproximadamente quinze funcionários cada.
Funcionários de 30 restaurantes da cidade também foram treinados para dar bom atendimento ao visitante, por meio do TIP (Tourist Information Point), criado pela Abrasel/PR, com apoio do Ctur. São restaurantes que possuem atendentes bilingues e nos quais o cardápio é descrito, no mínimo, em português/inglês.
Por meio do Pronatec Copa, do governo federal, 250 pessoas foram beneficiadas com a realização de cinco cursos (organização de eventos, recepcionista em meios de hospedagem, garçom, auxiliar de cozinha e camareira(o) em meio de hospedagem.
O programa “Taxista Amigo do Turista” capacitou 2 mil taxistas, que aderiram voluntariamente à iniciativa. O trabalho garantiu a esses profissionais uma atualização sobre a cidade, o que certamente será útil daqui para a frente. Eles receberam material sobre atendimento ao turista, cultura da hospitalidade, ética e legislação, comunicação, a cidade e suas curiosidades, pontos turísticos.
A área de assistência social também sai do período de Copa com ganho na capacitação. A Fundação de Ação Social (FAS) integra o Comitê Local de Proteção à Criança e ao Adolescente no contexto dos Megaeventos. A partir daí, foram capacitados servidores no Programa de Ações Integradas e Referenciais de Enfrentamento à Violência Sexual Infanto-Juvenil no Território Brasileiro (PAIR). O PAIR é uma metodologia de fortalecimento de redes municipais de enfrentamento da violência sexual.
“O aperfeiçoamento da equipe torna-se um legado imaterial para as nossas atividades”, afirma Marcia Oleskovicz Fruet, presidente da FAS, que dá atendimento a crianças e adolescentes vítimas de abuso e exploração sexual por meio  dos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS). “Este trabalho é realizado durante o ano todo e por ser algo tão delicado, é fundamental que a equipe esteja preparada e atualizada”, diz Marcia.
Integração
Na área de segurança, o principal legado da Copa para Curitiba é a integração entre as várias forças. A Guarda Municipal compõe a Comissão Estadual de Segurança e Defesa Civil para Grandes Eventos (Coesge), criada pelo Ministério da Justiça em 2012, e que reuniu 45 instituições com o objetivo de criar protocolos de ação para a Copa do Mundo. A integração resultante desse trabalho deve resultar na otimização das estruturas de segurança.
A Saúde também ganhou em integração. Estruturas do município, do Estado e da União uniram-se numa série de iniciativas. Um bom exemplo foi a preparação para resposta a emergências de saúde pública e grandes eventos. Também houve avanço na integração entre áreas da Secretaria Municipal da Saúde, o que representa ganho de eficiência e tempo. Elaborado para a Copa, o Plano Integrado de Proteção à Saúde deixa como legado a integração entre a gestão, assistência em saúde e vigilância.
Também houve integração de unidades e recursos para o funcionamento de equipamentos de saúde no período de 24 horas e integração das equipes do SAMU e SIATE que atuam no SUS Curitiba e a Força Nacional do SUS, do governo federal.
Conscientização sobre direitos humanos
A grande movimentação de torcedores durante a Copa foi aproveitada como oportunidade para campanhas de conscientização sobre o respeito aos direitos humanos, A Fundação de Ação Social (FAS) promoveu seminários e campanhas publicitárias (como a Não Desvie o Olhar, com a participação de atletas e personagens do futebol brasileiro) para alertar a sociedade para a importância da denúncia (através do Disque 100 ou da Central 156) em casos onde exista a suspeita de abuso ou exploração sexual contra crianças e adolescentes.
As secretarias da Mulher e da Comunicação Social desenvolveram uma campanha de conscientização sobre o respeito às mulheres e seus direitos e sobre o enfrentamento da violência. A campanha foi veiculada em cinco idiomas: português, espanhol, inglês, russo e alemão.  Cartazes e pulseirinhas com a frase: “NÃO que dizer NÃO” – “Não importa de onde você vem, respeite nossas mulheres” -, foram distribuídos na rede hoteleira, na FanFest, pontos culturais, turísticos e locais de grande circulação de pessoas.
A campanha também está circulando nas redes sociais e teve repercussão em veículos de comunicação (sites, jornais impressos de vários lugares do País e programas de televisão), ganhando visibilidade nacional e até internacional.
Cultura do voluntariado
A Copa do Mundo representou uma oportunidade para disseminar no Brasil a cultura do voluntariado, que já é forte em muitos países. Em Curitiba, 580 pessoas participaram do Programa Brasil Voluntário, do governo federal, coordenador localmente pela Secretaria do Trabalho e Emprego.
Eles atuaram em pontos de mobilidade, aeroporto, eventos de exibição pública, áreas de fluxo, entorno do estádio e no Centro Aberto de Mídia. Além de apoiar torcedores, jornalistas, turistas e população em geral, tiveram  a oportunidade de conhecer novas pessoas e culturas, inclusive de outros países.
A Secretaria Municipal do Trabalho e Emprego planeja trabalhar para institucionalizar uma rede de voluntários na capital com vistas à atuação em outros grandes eventos e em ações humanitárias.
Saúde
Para o Sistema Único de Saúde de Curitiba, a Copa do Mundo de 2014 foi uma oportunidade para integraras ações e serviços de atenção à saúde ofertados pelo município, garantindo a integralidade do cuidado aos turistas estrangeiros e brasileiros, assim como para a população de Curitiba e daRegião Metropolitana.
- Aprimoramento da infraestrutura da rede assistencial de urgência e emergência, com a elaboração de protocolos e planos organizacionais para garantir o funcionamento dos serviços e equipamentos de saúde (SAMU, SIATE, UPAs, Pronto Atendimento, Hospitais) e a aquisição de equipamentos de uso frequente que, após a Copa, farão parte da estrutura das unidades.
- Desenvolvimento de ações integradas voltadas para aprimoramento do sistema de vigilância em saúde, com ações de fiscalização sanitária e educativas em serviços ofertados (setores: Saúde, Alimentação, Hoteis, etc.) e a implementação de um sistema de monitoramento diário de possíveis emergências em saúde pública, para intervenção imediata, quando necessário.
Programas e projetos
- Projeto de categorização de serviços de alimentação, em função do risco sanitário, conforme as diretrizes nacionais. Permitiu maior acesso às informações sobre qualidade de estabelecimentos de alimentação para a população.
- Criação de roteiro de avaliação sanitária de hotéis. Será usado como instrumento de avaliação específico criado e equipes de vigilância sanitária capacitadas para utilização do instrumento.
- Ações de promoção da saúde com articulação entre os setores da Secretaria Municipal da Saúde e com entidades parceiras.
- Adaptação do registro eletrônico (prontuário eletrônico) para usuários participantes no evento. Osistema de prontuário eletrônico da Secretaria Municipal da Saúde adaptado para registro de usuários participantes de grandes eventos, contribuindo para registro ágil e adequado e para utilização para ações de vigilância em saúde.
- Melhoria na estrutura de atendimento para o cidadão.Consolidação de estratégias ampliadas para atendimento e informações em saúde para o viajante e ao público em grandes eventos.
- Utilização de terreno ao lado da Arena do Atlético, desapropriado para as obras do estádio, para a construção de um centro de especialidade municipal após a Copa.

Educação
Independentemente da seleção que vencer, a Copa do Mundo vai deixar um histórico positivo para a rede municipal de ensino. O Mundial e em especial os jogos disputados em Curitiba promoveu diferentes oportunidades para projetos e ações que envolveram estudantes e profissionais da área. Intercambio com voluntários estrangeiros, ensino de idioma, feira literária e participação de dois mil estudantes em jogos são alguns dos  resultados positivos do evento.
Um dos legados mais expressivos da Copa do Mundo na educação foi a parceria estabelecida entre cinco escolas municipais com escolas de NewCastle, no norte da Inglaterra, para a promoção de intercâmbio cultural entre as crianças. A troca de conhecimentos e experiências entre as escolas é fruto do Projet Curitiba, uma ação desenvolvida por voluntários ingleses da ONG LaionsRaw, formada por fãs do futebol.
Além da toca de informações sobre a cultura, esportes e educação entre as escolas dos dois países, um grupo de estudantes municipais têm participado de aulas de língua inglesa em curso oferecido pelos voluntários ingleses. Aprender inglês com professores que têm o idioma como língua materna tem tornado o aprendizado mais dinâmico e divertido.
As aulas e conversas realizadas por meio de videoconferência entre estudantes de escolas dos dois países além de conhecimento virou oportunidade para novas amizades entre crianças dos dois países.
Outro grupo de voluntários da Liosnraw, que vieram da Austrália para acompanhar a seleção jogar em Curitiba, aproveitou a passagem em Curitiba para desenvolver ações voluntárias de limpeza, revitalização e organização de espaços em quatro escolas localizadas nos bairros Uberaba e Cajuru.

A realização da Copa do Mundo em nosso país, de certa forma, está contribuindo para construir uma imagem positiva e disseminando-a pelo mundo afora desta maneira. Aos poucos, populações distintas de todo o mundo, vão "pulando por cima" ou simplesmente deixando de lado, os noticiários preconceituosos e exclusivamente negativos e percebendo por trás deles, ou até mesmo nas entrelinhas, o entusiasmo com que o povo brasileiro recebe a Copa e seus benefícios, por mais poucos que estes aparentemente sejam ou demonstrem ser, admitindo que o Brasil se colocou no mundo, como um país com capacidade de recepcionar um evento com grande magnitude.

Mais informações em: http://www.curitiba.pr.gov.br
Att. Caroline Matias

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Fifa anuncia suspensão de 9 jogos, banimento de 4 meses, e Suárez está fora da Copa do Mundo

Acusado de morder o zagueiro Chiellini, Suárez foi suspenso pela Fifa e está fora da Copa

Luis Suárez está fora da Copa do Mundo-2014. Acusado de morder o zagueiro italiano Giorgio Chiellini, o atacante da seleção do Uruguai foi punido nesta quinta-feira pela Fifa com uma suspensão de nove partidas. Como o máximo que a Celeste ainda pode disputar nesta edição do Mundial são quatro jogos, o camisa 9 não poderá mais atuar.

Além disso, Suárez está banido de qualquer atividade relacionada ao futebol pelo período de quatro meses, e está sujeito a multa no valor de 100 mil francos suíços (R$ 271 mil). O jogador não poderá sequer estar presente em estádios de futebol durante o período da suspensão, ou atuar pelo seu clube, o Liverpool.
"Este tipo de comportamento não pode ser tolerado em nenhum campo, particularmente na Copa do Mundo, com olhares de milhões de pessoas. O Comitê Disciplinar levou em consideração todos os fatores e o comportamento de Luis Suárez", afirmou, em nota, o presidente do Comitê Disciplinar, Claudio Sulser.
Suárez foi enquadrado em dois artigos do Código Disciplinar da Fifa: o 48 e o 57. O primeiro diz respeito a condutas impróprias contra adversários, e o segundo descreve comportamento andidesportivo.
Em comunicado, a Fifa mencionou que o banimento se refere, inclusive, a processos administrativos referentes a futebol. Apesar disso, Suárez não está impedido de transferir-se para outro clube na próxima janela europeia.
A porta-voz da entidade, Delia Fischer, confirmou que o jogador e a Federação Uruguaia podem recorrer ao Comitê de Apelação da Fifa, ou até à Corte Arbitral do Esporte (CAS), em Lausanne, na Suíça, e tentar "congelar" a suspensão enquanto o caso é julgado. O Liverpool, que perderá sua principal estrela por nove partidas do Campeonato Inglês e pelos três primeiros jogos da fase de grupos Champions League, não pode ser formalmente envolvido.
A assessoria de imprensa do Uruguai confirmou que Suárez não viajará ao Rio de Janeiro para a partida deste sábado contra a Colômbia, pelas oitavas de final do Mundial, e deixará o país.
Uruguaios em defesa de Suárez
A mordida fatídica no ombro de Chiellini teria ocorrido durante a vitória por 1 a 0 do Uruguai sobre a Itália, no último dia 24, na Arena das Dunas, em Natal. O árbitro Marco Rodríguez, no enanto, não viu o lance, e sequer advertiu Suárez com um cartão amarelo.
A Fifa, que já puniu o camaronês Alex Song com três jogos de suspensão por conta de uma agressão ao croata Mario Mandzukic, estudou as imagens da televisão para decidir sobre o futuro de Suárez no Mundial. A entidade permitiu ao Uruguai apresentar a defesa até a tarde da última quarta-feira, e comunicou a punição na manhã desta quinta.
Para tentar amenizar - ou impedir - a punição à sua principal estrela, a Federação Uruguaia elaborou um documento no qual descarta dolo do jogador no lance com Chiellini. O presidente Wilmar Valdez reclamou até de perseguição a Suárez, que já mordeu adversários em outras duas ocasiões - uma com a camisa do Ajax e outra com a do Liverpool.
"O futebol é um esporte físico. Se o árbitro toma uma decisão com base em uma certa compreensão eu acho que é realmente difícil julgar depois em um escritório. Quando é algo realmente sério, eu não acho que é ruim a Fifa interferir, mas quando é assim, uma colisão no ar, eu não acho que deve ser julgado. A boca do Suárez bate no ombro do outro jogador", disse.
Após o anúncio da punição, Valdez voltou a pronunciar-se, classificando-a como exagerada e alegando que a Fifa não reunia provas suficientes.
O zagueiro Diego Lugano, capitão do Uruguai, foi outro a reclamar de perseguição, e adotou postura hostil diante de um jornalista inglês ao ser questionado sobre o ato de Suárez.
Até o presidente uruguaio, José Mujica, saiu em defesa da grande estrela do país no Mundial. "Eu não vi que ele tenha mordido alguém, mas eles acertam cada pontapé e cada pancada! Não o escolhemos para ser filósofo, nem para mecânico, nem para que tenha bons modos; é um excelente jogador", discursou.
O irmão de Suárez, Maxi Suárez, se disse "desvastado" com a punição. "Estou devastado. Estou muito triste. É inacreditável. Não, eu achei que não seria tão severo. Eu estou muito nervoso agora, mas temos que seguir em frente. O time é forte agora. Eles vão ganhar", declarou.
Att. Ana Ellen
Fonte <http://espn.uol.com.br/noticia/421193_fifa-anuncia-suspensao-de-9-jogos-banimento-de-4-meses-e-suarez-esta-fora-da-copa-do-mundo>

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Mascotes das Copas do Mundo

Em clima de Copa do Mundo, vamos falar sobre os mascotes das Copas. Desde 1966 todo país sede escolhe um mascote para representar a competição naquele ano, os mascotes já tiveram forma de animais, frutas, figuras infantis e até personagens do futuro, são responsáveis por causar a euforia nos estágios, divertem o público e se tornaram grandes celebridades da copa do mundo, aparecendo em produtos licenciados e campanhas de merchandising em comerciais. Confia a lista de dos mascotes das Copas: 



1966, na Inglaterra, surgiu o primeiro mascote de uma Copa do Mundo, foi o Willie, um leão que é um símbolo típico do Reino Unido. Para mostrar o patriotismo, ele esta usando uma camisa com a bandeira do país.

Um menino vestindo uma camisa do México e um enorme sombrero foi o primeiro mascote da Copa do Mundo a ter forma humana. Juanito, o menino mexicano, tinha um nome popularmente espanhol e supostamente representou um típico jovem fã de futebol. O mascote parecia inocente e simples, combinou bastante com a disputa que não teve nenhum cartão vermelho em 1970.


1974, Copa do Mundo da Alemanha, os mascotes foram dois garotos Tip e Tap, que representavam a união entre as duas Alemanhas oriental e ocidental, que mesmo separadas, participaram juntas da competição. Na camisa de um se tem a sigla WM, iniciais de Copa do Mundo em alemão, na do outro, o número 74, ano da competição.


A Argentina seguiu a tendência entre os mascotes, apostou em um menino também e apresentou o Gauchito como sendo o mascote da Copa do Mundo de 1978. Seu nome foi derivado da palavra 'Gaúcho', que significa cowboy em espanhol, além do nome, o visual do mascote também foi inspirado em trajes típicos, como nó no lenço, chapéu, e um chicote de gado em sua mão direita. 



Já a Espanha optou por uma fruta no momento de escolher qual seria o mascote da Copa de 1982. O país apresentou uma laranja sorridente segurando uma bola de futebol que recebeu o nome de 'Naranjito', o equivalente a 'laranjinha' em português.



A pimenta jalapeño chamada Pique foi o segundo mascote apresentado pelo México em uma Copa do Mundo - o primeiro foi o menino Juanito em 1970. O mascote, que recebeu o nome de Pique, que em espanhol significa picante, usava bigode e sombrero na tentativa de representar a cultura mexicana.


Após anos com personagens 'vivos', o mascote oficial da Itália foi um boneco tricolor que tinha uma bola que representava a sua cabeça, mas não tinham nem olhos, nem nariz, nem boca. O visual deste boneco chamado Cio que tinha as cores da Itália dava a impressão de que ele podia quebrar a qualquer momento. Ciao é a palavra italiana usada para dar "oi" e "tchau".


Quando a tarefa de produzir um mascote para a Copa do Mundo foi dada aos norte-americanos, eles fizeram como a Inglaterra e escolheram um animal, mas diferentemente dos ingleses, eles escolheram um animal doméstico, no caso um cachorro, ao invés de um símbolo nacional. O pequeno 'atacante' que foi o símbolo da Copa do Mundo de 1994 Striker vestia uma camiseta branca e vermelha, shorts azul e supostamente gostava de jogar futebol. Strike significa atacar em inglês.


1998, Copa do Mundo da França, o mascote foi Footix, um galo, um de seus maiores símbolos nacionais, seu corpo predominantemente azul, cor do uniforme francês.O seu nome é a mistura de football com Asterix, o mais famoso personagem animado francês.



'Os Spheriks', que compreende Ato (treinador), Nik (jogador azul) e Kaz (jogador roxo), são criaturas do futuro que já viveram na Atmozone e pousaram na Terra para se tornarem mascotes oficiais da Copa do Mundo de 2002 que foi organizada conjuntamente pela Coreia do Sul e pelo Japão.



2006, Copa do Mundo da Alemanha, teve como mascote um leão chamado Goleo VI e sua bola de estimação Pille. O leão causou polêmica na época porque parecia que ele estava sem calças e também porque o animal está intimamente ligado às histórias da Inglaterra e da Holanda.


2010, na Copa do Mundo da África do Sul, o mascote foi Zakumi, um leopardo predominantemente verde e amarelo, cores da bandeira da África do Sul, que representa a jovem democracia sul-africana, cheia de energia, mas que ainda precisa amadurecer. Seu nome tem um significado ZA é a sigla oficial para África do Sul e KUMI é a palavra que designa na maioria das línguas do país o número dez.



2014, Copa do Mundo do Brasil, a segunda realizada aqui, o mascote é o Fuleco, um tatu-bola, animal ameaçado de extinção. Seu nome é a mistura de Futebol com Ecologia.








Att: Aline Melnyk

terça-feira, 24 de junho de 2014

Uruguaio "abusa" da raça após pancada e corre risco; entenda

Olá pessoal!!

Em época de Copa do Mundo fica evidente a internalização do sentimento de identidade e pertencimento a um país. Nesse sentido, de certa forma nosso cotidiano é modificado e passamos "viver" o futebol, ainda mais pelo fato do Brasil ser o país sede da Copa de 2014. Ao assistir os jogos da Copa, vemos o quanto ela simboliza para os jogadores, com jogos emocionantes, duros, em que os jogadores chegam ao limite físico e mental. 

Entretanto, alguns fatos nos mostram que algumas situações as quais acabamos enchendo de elogios e qualidades, de fato merecem atenção e cuidados especialmente para o principal "ator" do futebol, nesse caso o JOGADOR.

Segue reportagem sobre o jogo válido pela fase de grupo da Copa entre Uruguai x Inglaterra. Em um lance em determinado momento do jogo, o uruguaio Álvaro Pereira caiu desacordado em campo e ao recuperar a consciência decidiu continuar no jogo. O que para muitos pareceu uma atitude de raça e vontade do jogador, configurando-se digna de ser elogiada, na verdade poderia trazer diversas consequências negativas ao próprio atleta. 

Segue reportagem sobre as consequências que poderiam, e ou, podem acontecer caso o indivíduo tenha a mesma atitude que o jogador uruguaio.

Rodrigo Trindade: Direto de São Paulo

Herói, "raçudo", símbolo do futebol sul-americano... Álvaro Pereira foi elogiado ao mostrar disposição na partida contra a Inglaterra, sua primeira naCopa do Mundo de 2014, após levar uma joelhada de Raheem Sterling na cabeça, cair desacordado no campo, recobrar a consciência em segundos e lutar contra as orientações da equipe médica do Uruguai para continuar no jogo, que acabou com vitória uruguaia por 2 a 1.
Apesar do tratamento como exemplo de atleta por parte da imprensa, a atitude do lateral esquerdo do São Paulo pode se considerada como irresponsável e perigosa para a saúde do próprio, tudo isso por causa do fato do defensor ter caído no gramado inconsciente, ainda que por pouco tempo, fato que ele mesmo admitiu em entrevista após o jogo. 
"Lembro que senti o golpe e quando percebi estava no gramado. O importante é que tudo saiu bem, foi só um susto", afirmou o jogador. Álvaro Pereira saiu ileso do lance, mas a "raça" ou teimosia poderia ter resultado em sequelas mais graves, típicas de atletas que sofrem concussões, ferimentos mais comuns em esportes como o futebol americano e que resultam em danos cerebrais que podem incomodar futuramente, mesmo depois da aposentadoria.
Intrigado com a reação de jornalistas americanos, que estranharam e apontaram como absurdo o retorno do atleta ao gramado, o Terra entrou em contato com um neurologista para esclarecer o que deveria ter sido feito neste tipo de situação, considerando que Álvaro Pereira realmente perdeu a consciência por um breve momento após a colisão com Sterling.
"Se ele não perdeu a consciência ele pode continuar (a atividade física) sem problema nenhum. Se não, ele não pode nem sequer ter qualquer movimentação física. Pode ter dano cerebral. Com ele você pode ter complicações e proibir o esportista, que deve ser deitado em observação e para melhores cuidados fazer um exame de imagens", explicou o médico Lincoln de Macedo Leandro, neurocirurgião do Hospital do Servidor Público do Estado de São Paulo, que se aprofundou no assunto ao detalhar as consequências da continuação da atividade física depois de um dano cerebral, ainda que leve.


Lateral esquerdo foi orientado a deixar o campo, mas insistiu em continuar
Foto: AP

"Quando o paciente perde a consciência é porque o cérebro foi agredido, tanto é que parou de funcionar. Se isso acontece ele continua e pode ter um inchaço do cérebro, um edema, e isso pode fazer com que o quadro dele se agrave muitíssimo. Ele pode até romper pequenos vasos e de imediato não vai levar a um sangramento importante, mas pode agravar. Mesmo recobrado a consciência, ele tem que ir para o hospital", continuou o doutor.
Álvaro Pereira deveria ter deixado o gramado e ser colocado em repouso, como aconteceu com Bruno Martins Indi, da Holanda, na última terça, caso mais evidente de perda de consciência. O zagueiro holandês foi colocado na maca e deixou o Estádio Beira-Rio imediatamente a caminho do Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre, e não viajou com a delegação de volta ao Rio de Janeiro, ficando no hotel em que ela se hospedou na capital gaúcha para se recuperar.
"O ponto fundamental é a perda real de consciência. É como se o jogador tivesse sido nocauteado. Perdeu a consciência ele deve ser retirado imediatamente de jogo. O parâmetro é do boxe. Quando o lutador para de reagir, o árbitro imediatamente paralisa e dá o nocaute. Ele protege o profissional. O que ele usa sempre como referência é a consciência", esclareceu o neurocirurgião, que afirmou que este tipo de situação deve ser tratada com mais seriedade no futebol, como é por esportes em que pancadas na cabeça são mais recorrentes.
O Terra entrou em contato com a Asociación Uruguaya de Fútbol para ouvir a posição da entidade sobre o caso, mas não obteve resposta até o fechamento desta matéria. Logo após o atendimento ao lateral esquerdo, o médico Alberto Pan, da seleção do Uruguai, pediu a substituição. Álvaro reagiu acintosamente sinalizando ao banco de reservas que não o tirassem do gramado. Ele pediu desculpas para o doutor em entrevista depois do jogo.
A Fifa, posteriormente, nesta sexta-feira, falou sobre o episódio. "Ele foi autorizado a voltar porque o medico deixou. A equipe médica da Fifa ofereceu ajuda para exames complementares e os médicos da Fifa vão monitorar o jogador a partir de agora", disse a entidade, antes de negar uma suposta violação no protocolo de lesão. "O médico é que fez o exame em campo (Alberto Pan). Responsabilidade é do oficial médico da seleção do Uruguai".
Colaborou o repórter Allan Farina

Fonte: http://esportes.terra.com.br/uruguai/uruguaio-abusa-da-raca-apos-pancada-e-corre-risco-entenda,a9835c09207b6410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html

Att.

Wendell

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Flexibilidade e Alongamento

Este texto tem como proposta apresentar o conceito de flexibilidade, seus benefícios e algumas sugestões para atingi-la. Comecemos pela primeira indagação: o que é flexibilidade? Darido e Souza Júnior afirmam que “é a capacidade de aproveitar as possibilidades de movimento articulares, os mais amplos possíveis, em todas as direções”. Isso significa que flexibilidade é qualquer forma de fazer com que seus movimentos – quaisquer que sejam – atinjam uma maior amplitude.
É preciso que outra pergunta seja feita: para que é preciso atingir uma maior amplitude nos movimentos? A pergunta pode parecer boba, mas não é: se os movimentos que eu faço são suficientes para eu realizar as minhas tarefas diárias, por que eles precisam ser mais amplos? Bem, a resposta para essa questão apresenta relação direta com o segundo item a ser tratado: os benefícios de uma boa flexibilidade corporal. Atividades cotidianas como amarrar o sapato, lavar os cabelos, pegar um quadro da parede, pegar um papel do chão, requerem um mínimo de flexibilidade do seu corpo. Se essa flexibilidade não for trabalhada, existe a possibilidade de que, com o avanço da idade, o indivíduo tenha dificuldades para realizar essas tarefas tão comuns. Não é difícil encontrar pessoas idosas que não conseguem amarrar seu próprio sapato. Além disso, a vida cotidiana, de característica tensa, leva o indivíduo a se contrair, resultando em má postura. É por isso que a flexibilidade é considerada como um tipo de capacidade física: ela é um dos elementos essenciais que capacitam o indivíduo para uma vida ativa e saudável.
E, finalmente, chegamos ao terceiro questionamento: e como manter ou ampliar a flexibilidade do seu corpo? Essa resposta é muito simples e, com toda a certeza, você conhece: alongamento. O alongamento é uma prática que consiste na extensão dos grandes músculos do corpo, além do seu comprimento normal (em estado de repouso). É importante ressaltar que, além de prevenir lesões musculares, impedimentos cotidianos e problemas de coluna, o alongamento também proporciona ao praticante a consciência corporal, ou seja, a tomada de consciência de seus limites e de sua evolução.

Por Paula Rondinelli
Colaboradora Brasil Escola
Graduada em Educação Física pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP
Mestre em Ciências da Motricidade pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP
Doutoranda em Integração da América Latina pela Universidade de São Paulo - USP

Fonte: http://www.brasilescola.com/educacao-fisica/flexibilidade-alongamento.htm

att
Walmor Ladwig.

domingo, 22 de junho de 2014

FALTA DE RESPEITO AO PROFESSOR

        
               
Todos sabemos a dificuldade como professores de rede pública e privada em se ter respeito dos nossos alunos dentro de sala de aula, porém por experiências vividas na iniciação a docência (principalmete em estágios obrigatórios), observei a impossibilidade talvez, de ter dialogo e a atenção de alguns alunos, pois possuem comportamentos agressivos e são desacreditados por viverem em uma sociedade, que em uma parte tem condições magnificas de se viver e outra parte sofre com o descaso dos governantes, que não se preocupam com a saude, com a fome, com a moradia e ainda mais em tirar nossas crianças, adolescentes das drogas e dos crimes oferecidos por aí. Quando li o livro de Augusto Cury, Pais brilhantes e professores fascinantes, comecei a refletir sobre a grande responsabilidade que teria em alguns anos de universidade, nunca vou esquecer uma parte em que o autor destaca que muitos alunos pedem socorro com os comportamentos que vivem, chamando a atenção por serem maltratados em casa por seus familiares, ou até abusados por pessoas que amam. Como intervir com esses alunos?? Se milhoes de hipoteses são criadas em minha cabeça??  Fica aqui registrado aos meus futuros colegas de profissão, a pergunta que me instiga a cada dia que vou a docência, qual é sua forma de contornar situações rotineiras com a indisciplina dos alunos ?? Sei que muitos professores acessam esse blog, e sua experiencia contribuirá e muito. Confesso que acredito que existe professores que ainda lutam em ter uma educação de qualidade, assim como eu quero e tento possiblitar para os meus alunos,  e ainda há professores que compartilham  dessa mesma duvida que já possuo na minha iniciação de carreira docente. Espero que muitos aqui, deixem seus relatos, isso me ajudará e ajudará a professores que sofrem com isso todos os dias...


Att: Tatiane Perucelli 

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Sistema de contagem da pontuação do tênis de campo

Jogo
As partidas de tenis possuem um sistema de pontuação, que subdivide o jogo em pontos, games e sets.
O ponto
Começa a ser disputado quando o jogador que está sacando joga a bola para o outro lado da rede, de modo que ela caia dentro da área de serviço. Quando o jogador saca e a bola bate na rede conseguindo atingir o quadrado onde deveria, acontece o famoso “let” e  ele tem a chance de sacar novamente. São duas tentativas para se iniciar o ponto, se em ambas as tentativas resultar em faltas, uma dupla falta é chamada, e o oponente vence o ponto. Perde-se o ponto quando: a bola não ultrapassa a rede; a bola pinga fora dos limites da quadra; a bola pinga duas vezes dentro de um dos lados da quadra. Somente a raquete pode tocar a bola (exceto no saque, onde o lançamento da bola é feito com as mãos).
O game
É um conjunto de pontos, onde no mínimo quatro pontos são disputados no game. A contagem é feita por 15-30-40-game. Caso chegue-se a uma contagem de 40-40, o jogador que vencer dois pontos seguidos vence o game. Cada game tem um jogador responsável por recolocar a bola em jogo: serviço ou saque.
set
É a divisão de uma partida de tênis, composta por vários games. Um conjunto de games forma o set (1-2-3-4-5-set).
No tênis de alto rendimento, é comum que o jogador que serve fature o game, já que tem a vantagem do ataque e dita o ritmo do jogo. Desta forma, uma das estrategia de jogo é tentar inverter esta vantagem durante a troca de bola ou durante a defesa fazer com que o adversário, através de erros, perca os games em que está sacando. Ganha o jogo aquele que atingir um número de sets pré-definido – geralmente em melhor de três, quem vencer 2 sets,  e se for uma partida masculina de Grand Slam, em melhor de cinco sets, quem vence 3 sets, ganha.
Caso ambos os tenistas cheguem a seis games (sem que nenhum deles abra dois games de diferença para o adversário), joga-se um tiebreak, ou desempate. Aí, quem vencer sete pontos (sempre pensando que é preciso estar, no mínimo, a dois de vantagem do oponente para vencer), ganha o set.
Em alguns Grand Slam (como Australian Open, Wimbledon e Roland Garros), caso os tenistas empatem em dois sets, o último set não tem tiebreak, ou seja, eles ficam jogando até alguém abrir dois games de vantagem.
Pode-se também, em casos especiais pré-definidos (sempre no último set do jogo), jogar-se um Super Tie-Break, onde aquele que atingir 10 pontos, com uma diferença de dois para o adversário, ganha.
Quando dois tenistas empatam em 40, geralmente diz-se 40 iguais, ou somente iguais. Caso o sacador faça o ponto seguinte, diz-se "vantagem a favor”. A favor de quem? Do sacador. Se quem ganha o ponto seguinte é o recebedor, diz-se: “vantagem contra”. Contra quem? O sacador. Todos os pontos são “cantados” em relação ao sacador. Então, se você estiver sacando e fizer o pr, diz-se: 15 a primeiro ponto 0, ou 15/0. Se quem fez o ponto foi o adversário que está recebendo, diz-se: 0 a 15, ou 0/15. Da mesma maneira em relação aos games. Caso você esteja sacando e esteja perdendo por 3 games a 2, dirá: 2 a 3, ou 2/3.
Contagem do jogo de duplas
Atualmente, os jogos de duplas da ATP possuem um formato de contagem um pouco diferente do convencional. São dois os pontos divergentes:
  1. Quando as duas duplas estão empatadas em 40 em um game, a dupla que está recebendo o saque escolhe qual jogador receberá. Aí, quem fizer esse ponto ganha o game.
  2. Caso as duplas empatem em 1 set a 1, joga-se – ao invés de um novo set – um match-tiebreak, que nada mais é do que um tiebreak até 10 pontos. A dupla que fizer 10 pontos primeiro (sempre com dois de vantagem), ganha a partida.
  3. Em duplas mistas, o jogador do mesmo sexo do sacador deve receber o ponto decisivo. Os jogadores da dupla que estiver recebendo não podem mudar de posições para receber o ponto decisivo.
fonte: https://www.google.com.br/search?newwindow=1&q=sistema+de+pontuação+do+tenis+de+campo&oq

att
Marcelo Leniar

terça-feira, 17 de junho de 2014

A IMPORTÂNCIA DO AQUECIMENTO E DO ALONGAMENTO.

O texto abaixo, trás a importância de aquecer o corpo e alongar a musculatura, antes da atividade física. A execução desses exercícios, podem prevenir desde lesões leves até as mais graves, como entorses, luxações entre outras. Então ao realizar uma Atividade Física é primordial alongar-se e aquecer. Aproveite esta dica! 

Para desempenhar-mos qualquer atividade física é importante o aquecimento corporal.
Os músculos necessitam de calor, por isso precisamos pré aquecer o nosso corpo para a atividade desejada.

Ao executar um tipo de aquecimento simples por exemplo, corridas curtas, pular corda, saltos no lugar, nosso coração aumenta a frequência cardíaca, elevando assim a pressão sanguínea (o sangue corre mais rápido nas artérias), o corpo entra em calor.

Porém somente isso não é suficiente para estar aquecido, os músculo, articulações e tendões necessitam de uma preparação mais específica que são os alongamentos.

Ao execultar exercícios de alongamento específicos para os músculos por exemplo, o mesmo estará gradativamente se tornando mais elástico e mais contrátil, ao alongar uma determinada articulação ou tendão (panturrilha e ombro), os mesmos estarão entrando em calor preparados para a atividade.

É importante um alongamento específico para a articulação.

Assim vale para os cotovelos, para a coluna, para a musculatura da coxa (anterior e posterior). Alongar exige muito pouco tempo e espaço, pois em menos de cinco minutos você estara leve e solto preparado para atividade sem risco de contusão.
Fonte <http://profrafaelguerra.blogspot.com.br/2010/09/importancia-do-aquecimento-e-do.html> Acesso em 18/06/2014 ás 12:46. 

Att. Marcela Pereira.