Total de visualizações de página

Pesquisar no blog

terça-feira, 8 de maio de 2012

Postagem com Curiosidades sobre o handebol - por Caroline Cordeiro.



No handebol, ao contrário do futebol, um jogador destro prefere jogar pela esquerda, e um jogador canhoto prefere atuar pela direita. É porque assim seu braço de arremesso ficará pelo lado de dentro da quadra, e por isso com maior ângulo para o tiro ao gol.
Os atletas utilizam uma cola especial nas mãos para ter um contato mais firme com a bola. É por isso que as bolas de handebol sempre parecem sujas.



O handebol estreou nas Olimpíadas em Berlim-1936. A modalidade disputada, hoje praticamente em desuso, foi o handebol outdoor, com 11 jogadores de cada lado. Os alemães, donos da casa e criadores do esporte, ficaram com a medalha de ouro após uma vitória suada sobre a Áustria. A derrota maior veio para o próprio esporte, que não agradou e, a partir dos Jogos seguintes (Londres-1948), ficou de fora das Olimpíadas.
Tanto no masculino como no feminino, houve sempre domínio da Europa, berço do esporte. A primeira vez em que um país não-europeu levou o ouro foi em Seul-1988, quando a Coréia do Sul venceu no feminino, feito que repetiria em Barcelona-1992. Entre os homens, esse tabu ainda não caiu.
A seleção masculina norte-americana para Atlanta-1996 foi convocada de uma maneira pouco convencional: a partir dos biótipos dos jogadores. Como o esporte não é popular nos EUA, foram convidados jovens atletas de basquete, beisebol e futebol americano que tinham altura, massa muscular e impulsão, mas não estavam indo bem nos esportes que praticavam. Os atletas treinaram por quatro anos e ficaram na nona colocação.
O handebol brasileiro conseguiu vaga para os Jogos de Barcelona e Atlanta pela desistência de Cuba (por medidas de economia). Na Espanha, o país perdeu de todo mundo e ficou em último. Nos Estados Unidos, a seleção terminou na 11ª colocação entre os 12 participantes, com apenas uma vitória, sobre o Kuait e um empate contra a Argélia.
Considerado um dos melhores jogadores do mundo, o alemão Stefan Kretzschmar cultiva a fama de “bad boy”. Na última contagem que fez, descobriu que tinha pelo corpo sete piercings e 14 tatuagens. Ele também foi dono de um bar em Magdeburg, na Alemanha.
A história do handebol em Olimpíadas é marcada por decepções. A seleção masculina da Alemanha, país que inventou o esporte, nunca ganhou uma medalha de ouro em disputas indoor. Em Montreal-1976, os grandes fracassos foram da Romênia, campeã mundial, que perdeu a final para a União Soviética, e da Iugoslávia, campeã olímpcia em Munique-1792, que terminou o torneio em quinto lugar, tendo perdido apenas um jogo, para a Alemanha Oriental, por um ponto de diferença.
Roswitha Krause conquistou em Montreal-1976 a medalha de prata no handebol pela equipe da Alemanha Oriental. Oito anos antes, ela já havia subido ao pódio olímpico: foi bronze no revezamento 4×100 m livre da natação na Cidade do México-1968.
A torcida sul-coreana lotou o ginásio para ver a final masculina do handebol nos Jogos de Seul-1988. Mas apesar do grande barulho, não conseguiu impedir a derrota da Coréia do Sul para a União Soviética na decisão. De qualquer forma, a prata conquistada foi a primeira medalha de um país não europeu na disputa masculina.
Apenas dois anos após conquistar a medalha de ouro em Seul-1988, a Coréia do Sul teve um desempenho decepcionante no Mundial feminino, terminando em 11º lugar a competição disputada em casa. Os dirigentes decidiram fazer uma renovação completa na seleção. E deu resultado. Em Barcelona-1992 o time conquistou o bicampeonato olímpico.
O torneio feminino de handebol na Olimpíada é recheado de bicampeões. A União Soviética ficou com o título nas duas primeiras edições (Montreal-1976 e Moscou-1980). A Coréia do Sul se tornou o único país não europeu a ganhar o ouro no esporte (Seul-1988 e Barcelona-1992) e a Dinamarca dominou as quadras no final do século 20 (Atlanta-1996 e Sydney-2000). A única seleção que não conseguiu defender o título foi a Iugoslávia, campeã em Los Angeles-1984.



Por ter surgido na Europa, o handebol sempre foi dominado por seleções do Velho Continente. Desde a estréia da modalidade no programa dos Jogos Olímpicos, em 1972, o torneio só foi vencido por não-europeus em duas oportunidades: em 88 e 92, ambas com vitórias da seleção feminina da Coréia do Sul. Há, no entanto, um certo equilíbrio entre as nações mais vencedoras da modalidade. A Rússia conquistou seis medalhas no total -  quatro como ex-URSS (duas em 76, uma em 80 e uma em 88), uma como Comunidade dos Estados Independentes (CEI), em 1992, e outra em 2000, já como Rússia. Logo atrás aparecem a antiga Iugoslávia e a Dinamarca, com três conquistas cada. Croácia e Coréia do Sul subiram no lugar mais alto do pódio em duas oportunidades.
·                     Apesar de ser considerado o maior nome brasileiro do handebol em todos os tempos, o armador Bruno Souza já passou por maus momentos na seleção nacional. O atleta ficou fora da convocação do espanhol Jordi Ribera para o Mundial da Alemanha em fevereiro de 2007 porque estaria supostamente deslumbrado com a condição de terceiro melhor jogador do mundo. Mas após o trauma de ter perdido a competição mais importante do calendário, Souza fez as pazes com Ribera e defendeu o Brasil nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro.
·                     Todos os jogos do último Campeonato Mundial de Handebol, disputado em fevereiro de 2007, na Alemanha, tiveram seus ingressos esgotados e suas lotações máximas.
O handebol teve um período de decadência,pois como era jogado em campos o inverno atrapalhava e ele disputava o espaço com o futebol e é obvio que as pessoas escolheriam o futebol.


Fonte: http://esporte.hsw.uol.com.br/pan-handebol5.htm

Um comentário:

  1. o andebol eu acho legal mas pra quem sabe jogar e melhor

    ResponderExcluir